Beatles na faixa

Abbey Road, 8 de agosto de 1969

Londres, 8 de agosto de 1969

Quatro homens se preparam para atravessar a rua. Eles saíram do estúdio logo em frente e agora conversam e riem. A mulher de um deles, o que está de sandálias, tira a foto do grupo, enquanto uma senhora observa.

A pacata rua Abbey nem parece estar em plena Londres, a primeira cidade do mundo contemporâneo a ultrapassar o milhão de habitantes, já na virada do século XIX. Mesmo assim, um guarda está lá para conter os carros enquanto os quatro cabeludos atravessam com segurança. Um fotógrafo registra a rua vazia.

Abbey Road, 8 de agosto de 1969
Abbey Road, 8 de agosto de 1969

Eles refazem o passeio pela faixa, de um lado para outro. A foto está pronta.

A capa do disco Abbey Road
A capa do disco Abbey Road

A imagem icônica, repetida pelos turistas do mundo inteiro, é mais do que uma boa realização de uma capa de disco. Os Beatles parecem felizes, ou pelo menos serenos, apesar do fim iminente do grupo. Eles têm prazer em cruzar uma rua, andar e seguir em frente. Eles andam pela cidade.

São Paulo, 8 de agosto de 2015

Comemora-se o dia do pedestre nessa cidade que, pode não parecer, mas é um lugar de caminhantes urbanos. Mais de um terço de todos os deslocamentos diários são feitos a pé. Os paulistanos caminham para ir ao metrô, ao ponto de ônibus, à padaria, ao trabalho, caminham para ir à igreja, ao bar, às praças.

Faixa de pedestres em S.Paulo
Faixa de pedestres em S.Paulo

Mas a caminhada, mesmo com um objetivo definido, também é um jeito de aproveitar a cidade. Quem caminha por aí e se deixa levar, acaba exercitando os sentidos. Vemos a multidão anônima no Viaduto do Chá e nos perdemos no meio de gente que nunca mais vamos encontrar. Cheiramos o pão quentinho da padaria ou o churrasco grego. Esbarramos sem querer em alguém, pedimos desculpas. Seguramos uma revista numa banca e decidimos ir em frente. Ouvimos os sons de alguém falando ao celular, a TV ligada na hora do jogo, o feirante que mexe com os fregueses.

Precisamos caminhar para chegar até algum lugar. Mas também precisamos caminhar para poder ver a cidade e aprender um pouco mais sobre nós mesmos. Para “clarear as idéias”, para ter idéias, para pensar em coisas novas, para não pensar em nada. Para encontrar os amigos, para não ser encontrado por ninguém. Para achar respostas, para se perder.

No meio do caminho, há uma faixa, há os carros, é preciso atenção para chegarmos vivos ao lado de lá. Mas quando chegamos, que prazer seguir em frente, com nossos próprios pés!Nossa Abbey Road é aqui. Vamos caminhar.

Deixe uma resposta