Caminhar em São Paulo, entre a mobilidade e a fruição

Tive o prazer de participar do Programa Panorama da TV Cultura, exibido na semana passada, junto com o médico e pesquisador Paulo Saldiva, da USP.

Este é o link para os 30 minutos do programa: http://tvcultura.com.br/playlists/67_panorama-panorama.html

Falamos sobre o andar como meio de transporte, mas também como possibilidade de fruição da cidade:

  • A cultura do carro durou décadas, mas talvez estejamos mudando de fase. Para o urbanista Jaime Lerner, o “carro é o cigarro do futuro”
  • 1/3 dos deslocamentos de São Paulo são feitos unicamente a pé. Outro 1/3 envolve algum tipo de caminhada. Mesmo assim, a cidade é construída a partir do olhar dos veículos.
  • Segundo pesquisa qualitativa conduzida por José Roberto Labinas Oliveira para este blog, as pessoas decidem andar a pé por motivos econômicos ou mesmo de conveniência. No entanto, depois de um tempo, começam a experimentar o prazer de encontrar lojas, pessoas e novidades na cidade.
  • Com mais gente trocando carro por transporte público, o trânsito e o ar da cidade vão melhorar.
  • Assim como as ciclovias, as calçadas também precisam formar uma rede para poder aumentar sua atratividade.

 

 

 

Um comentário sobre “Caminhar em São Paulo, entre a mobilidade e a fruição”

  1. Pingback: Augusta, Santo Amaro, Boa Vista, Consolação … Quando falta espaço para andar a pé, é hora de aumentar as calçadas. – Caminhadas Urbanas

Deixe uma resposta