Como achar espaço para mais um milhão de pessoas na cidade?

Uma intervenção urbana que começa a ser discutida hoje prevê que quase metade deles possa vir morar na região ao longo do rio Tietê.

O assunto é importante. Pelas projeções, São Paulo deve ganhar mais um milhão de habitantes nas próximas décadas, até que finalmente pare de crescer. Como e onde acomodar todo esse pessoal, se o déficit de habitação já passa de mais de 300 mil habitações?

Uma das respostas é trazer habitação, ruas, praças, emprego nas áreas em que a densidade é baixa. Duas dessas áreas podem acomodar a grande parte desse um milhão de pessoas e são objeto de grandes intervenções urbanas. A primeira é a chamada Operação Urbana Bairros do Tamanduateí, já lançada. A segunda, maior ainda, foi apresentada hoje, na reunião do Conselho Municipal de Política Urbana: o Projeto de Intervenção Urbana Arco do Tietê. A gestão atual é obrigada por lei a apresentar as bases legais e conceituais dessa grande mexida urbana na cidade, o que explica o lançamento das primeiras consultas às vésperas do final de mandato.

A área é tão grande quanto a ilha de Manhattan e engloba desde a região da Lapa de baixo até a região central, acompanhando o rio Tietê dos dois lados, numa faixa de aproximadamente 4 km de largura, por 16 km de extensão. Esse é um pedaço que hoje mistura fábricas, grandes terrenos e equipamentos públicos, estações de trem, mercados e habitação. A densidade é baixa: 65 habitantes por quilômetros quadrados, menos de 1/6 do que a dos Jardins, por exemplo. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano estima que é possível dobrar isso, com estímulo à urbanização, mesclando classes sociais e empreendimentos distintos, com qualidade urbanística.

O plano ainda está na fase de início de discussões e deve gerar várias questões como financiamento, desenho urbano, incentivos econômicos, habitação e mobilidade, mas, pela abrangência, vai certamente ser objeto de atenção do próximo prefeito ou da próxima prefeita e deve durar por várias gestões.

Trata-se de uma possibilidade de organizar um pouco esse crescimento da cidade, que, apesar de parecer percentualmente pequeno, ainda deve incorporar uma população quase igual à de Campinas dentro desse território já tão castigado.

 

O projeto detalhado vai estar disponível em dez dias no site http://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/

Deixe uma resposta