Espaços públicos: sinais de urbanidade nas cidades do interior, litoral e montanha.

Os paulistanos que saíram em férias constataram que as cidades turísticas ao redor da capital estão oferecendo um atrativo a mais: estímulos para andar a pé e para frequentar os espaços públicos. São pequenas mudanças que melhoram a vida de quem está visitando as cidades, como fechar uma rua para carros, facilitar uma travessia, colocar um banco e plantar árvores.

Visitei cinco cidades recentemente que fizeram essas pequenas mudanças e já tornaram a experiência do turista melhor: Santos, Caraguatatuba, Campos do Jordão, São Carlos e São Luiz do Paraitinga.

Santos sempre foi uma cidade boa de caminhar e parece melhor, com piso novinho, rebaixamento de guias e faixas bem pintadas.

Santos. Arquivo Pessoal.
Santos. Arquivo Pessoal.

Em Caraguatatuba, o centro da cidade está estimulando o andar a pé. Há um pequeno sistema de espaços livres, que interliga calçadas, praças e ruas de pedestre e ainda uma boa novidade: o sinal de pedestres que mostra o tempo que falta para fechar.

Travessia de pedestres em Caraguatatuba. Arquivo pessoal
Travessia de pedestres em Caraguatatuba. Arquivo pessoal

Os materiais e o projeto são modestos, mas a diferença é perceptível. Coincidentemente ou não, o índice de atropelamentos no litoral caiu muito com a redução e controle das velocidades nas estradas que cortam as cidades.

Ciclovia em Caraguatatuba. Arquivo Pessoal.
Ciclovia em Caraguatatuba. Arquivo Pessoal.

Subindo a serra, em Campos do Jordão, além do conforto de oito graus a menos do que no vale , a cidade tem, já há uns dois anos, um belo estímulo para a permanência ao ar livre. Em Capivari, os carros foram expulsos da região ao redor do centrinho, que vivia lotado de pessoas espremidas nas calçadas e cercadas de carros. A sensação de andar ao lado dos plátanos, sem ouvir barulho de carros aumentou o prazer de estar na serra. A qualidade do calçamento ajuda. Só faltaram uns banquinhos com encosto para o turista poder fazer aquilo que ele mais gosta de fazer – ver gente passando, sem ter que necessariamente estar num restaurante

Campos do Jordão. Arquivo pessoal.
Campos do Jordão. Arquivo pessoal.

Em São Carlos, uma cidade razoavelmente rica (é o 18º município em IDH do Estado), os pedestres têm calçadas agradáveis,  um traçado regular das ruas e o prazer de sentar num banco de praça a qualquer hora do dia.

Praça em São Carlos. Arquivo Pessoal.
Praça em São Carlos. Arquivo Pessoal.

A região ao redor do mercado municipal com boas áreas que foram fechadas para carros. O lugar poderia ter mais árvores e um pouco de cuidado, além de uma travessia digna para ligar com a bonita estação ferroviária, mas sobra espaço.

Calçadão em São Carlos. Arquivo Pessoal.
Calçadão em São Carlos. Arquivo Pessoal.

Para terminar, uma cidade que foi parcialmente reconstruída. São Luiz do Paraitinga se recuperou da grande enchente que sofreu, há alguns anos. O centro está muito bem cuidado, vários imóveis foram reconstruídos, e a cidade tem uma das praças mais agradáveis que existem no Brasil.

Praça em São Luiz do Paraitinga. Arquivo Pessoal.
Praça em São Luiz do Paraitinga. Arquivo Pessoal.

Nada disso é grandioso e nem deve ter exigido grandes gastos, com exceção da verba de reconstrução de S.Luiz do Paraitinga. São pequenos gestos que mudam muito a vida de quem passeia por esses lugares, transformando um passeio numa experiência agradável.

Se você tiver mais sugestões de cidades que estão tratando bem os pedestres, mande para cá: maurocalliari@uol.com.br, que eu publico nos próximos posts!

Deixe uma resposta